segunda-feira, 5 de maio de 2014

XIX Encontro Paulista de Autos Antigos - Campos do Jordão 2014

O 19ª Encontro Paulista de Autos Antigos de 2014 aconteceu na cidade de Campos do Jordão no estado de São Paulo entre os dias 1 e 4 de maio. Tive o privilégio de estar presente nos 3 primeiros dias e vou contar como vi o evento.



Planejamento e Chegada


Tudo começou no dia 26 de abril no encontro de Cravinhos - SP. Mas se for ver direito, na verdade, essa história teve início no feriado do dia 18 de abril quando eu aproveitei meus raros momentos de folga para ir a Santa Cruz das Palmeiras – SP atrás de um Maverick que meu amigo tinha dito que rodava por lá. Não vou entrar em detalhes, mas após perguntar bastante sobre o tal Maverick e até encontrá-lo, passei por um Opala de placa preta e parei para perguntar ao dono se ele saberia de outro Maverick na cidade.

Ahh, o Maverick é um sedan 76 branco do Mateus, um cara muito atencioso e que curte mesmo o carango.

O dono do Opala disse que já teve Maverick, mas agora “só” tinha 5 Opalas, 2 sendo placa preta. Eu nunca imaginaria isso. Saí pra procurar Maverick e encontro um ninho de Opalas heheheh
O senhor Sidney foi muito, mas muito atencioso e educado, abriu sua casa, mostrou os carros, contou suas histórias, ouviu o que eu tinha pra dizer... enfim, mesmo sendo Opala (kkkkkk) foi muito bom ver que mais antigos estão sendo bem cuidados, mas principalmente, conhecer o senhor Sidney foi um prazer. E foi ele que me contou sobre o encontro de Cravinhos.

Em cravinhos, tudo estava perfeito, o local é um parque ecológico, vale muito ir lá. Tinha 13 Maverick. Um deles me chamou atenção, era um GT 77 amarelo, perfeito com placa preta e da cidade de Taquaritinga-SP. Achei bastante familiar a situação, mas aí passou outro Maverick e acabei não falando com o dono. Depois, ele apareceu e perguntei se ele já não tinha ido no encontro de Araras com um GT branco e um vermelho e realmente era ele. Foi pra ele que naquele dia eu falei que o Maverick dele era o carro vermelho mais bonito e interessante do encontro, mas detalhe, exatamente atrás de nós estava uma Ferrari sei lá o que... talvez 2013, nada a ver com o encontro. Enquanto as pessoas iam ver a Ferrari eu atravessei a praça toda pra ver aquele GT. Conversamos bastante, aprendi muito com o Anderson Di Santo. Foi ele quem me avisou sobre o Encontro de Campos do Jordão.
Achei o senhor Sidney também, ele estava com a sua turma. Como é bom reencontrar boas pessoas!

Mesmo ciente do encontro em Campos do Jordão, não tinha como eu ir... eu teria que faltar do trabalho, procurar um lugar para ficar, decidir como eu iria.... estavatotalmente descartado, até que na terça feira 29 de abril abri o Facebook pelo celular(ainda estou sem internet L) e tinha uma mensagem do Juliano Gonçalves, o dono do Maverick Quadrijet. Ele disse que estaria no encontro e aí eu comecei a ficar ansioso e animado pra ir também. Eu tinha 1 dia para decidir como eu ia fazer, mas uma coisa era certa: não poderia perder a oportunidade de conhecer o Juliano e ver o Maverick Quadrijet pessoalmente.

Não dormi naquela noite e quando cheguei no serviço já falei para meu chefe que eu teria que faltar na sexta, sábado e talvez até na quarta feira depois do almoço. O PIlon, meu amado chefe, que também gosta dos antigos, (ele tem um puma) só não deixou eu ir embora depois do almoço, mas os outros dias estavam liberados. Imagina uma pessoa feliz! Eu fiquei louco. Agora eu precisava resolver como ir e onde ficar. Após pesquisar horários de ônibus, pousadas, a possibilidade de ir de moto, procurar mais alguém que iria.... encontrei a solução.
Eu trabalho em uma transportadora e uma de suas filiais é em Jacareí-SP. Então acabei pegando uma carona de caminhão até Jacareí, dormi lá no alojamento da garagem e no outro dia, meu amigo Anderson, que trabalha na filial, me levava na rodoviária de São José dos Campos-SP para pegar o ônibus direto para Campos do Jordão. Deu pra entender? Foi uma odisseia! Eu nunca tinha pego carona, muito menos de caminhão e também nunca tinha ido pra Jacareí.
Só tenho a agradecer, serei grato eternamente ao Renan, motorista que me levou, ao Anderson que me levou e buscou na rodoviária, que cuidou pra que eu também voltasse para Porto Ferreira de carona, ao Pilon eo Márcio, é claro, pois se não fossem eles eu estaria escrevendo outra coisa nesse momento e também sou muito grato ao Leonardo Faggian que podia ter ido embora mais cedo para casa no sábado, mas me esperou pra poder me ajudar. Pessoal, nunca vou esquecer isso, espero um dia conseguir retribuir tudo isso. Obrigado de coração.

 O Encontro


Campos do Jordao respirava o antigomobilismo! Na estradas, nas ruas e estacionamentos tinha um antigo. Eu costumo chegar bem cedo aos encontros, gosto de ver o pessoal andando com os carros, se arrumando e deixando tudo bonito. A gente sempre aprende alguma coisa.
Logo de cara, tinha uns Maverick de Curitiba com um nível de conversação excelente, tratava-se dos carros do Carlos, Luciano, Itamar e Nilo. Essa turma aí tem história! Se não me falha a memória, 35 Maverick já passaram nas mãos deles. O Anderson Di Santo chegou e contou que o seu GT amarelo pertenceu ao Carlos e Luciano.
Poxa, sem sombra de dúvida, eram os Maverick mais perfeitos do encontro, você vão ver as fotos.

Eu pareço criança quando vejo um Maverick, preciso perder um pouco disso... mas é praticamente inevitável. Enquanto eu tirava fotos, tentava encontrar o Juliano. De repente eu olho pra trás e no guincho..... ali estava o carro! Pronto... Haja coração. Cumprimentei o Juliano e o Marcelo Loureiro, que encontrou e restaurou esse carro. Foi ótimo, mas eu conto isso em um post separado.

Ainda estava cedo, mas o que eu queria já estava ali: Vários Maverick de qualidade e o Maverick Quadrijet.

Confiram:


































































Com o tempo eu vou postando mais fotos.


Passava o dia entre os Maverick, fiz contato com o pessoal de Curitiba, Itamar, Carlos, Luciano e Nilo, encontrei o Alexandre Mesquita, o Ricardo Varoli, Hugo e Thalles da Arsenal Hobby model, o senhor Arnaldo Di Genova Junior, o Anderson Di Santo, Marcelo Loureiro, Juliano Gonçalves, Fabíola, Angelo e Bruno.
Infelizmente não pude ficar até o domingo, talvez eu não aguentaria, não sei o que aconteceu, mas tive febre.Como acabei indo embora mais cedo no sábado, não consegui me despedir pessoalmente de todos. Foi uma satisfação enorme encontrar aqueles que eu já conhecia pela internet e também os novos amigos. Obrigado a todos pela paciência e companheirismo. Vocês são demais!


Não tive a oportunidade de ir em Águas de Lindóia, mas Campos do Jordão é uma cidade com um visual muito adequado para um encontro desses. Além das belezas naturais, ainda tem um trem a vapor que vai pra lá e pra cá com aquela (maldita) buzina, tem a arquitetura, as folhas das arvores pelo chão... tudo isso dá um charme a mais. Frio eu não senti, na verdade todo mundo ficou queimado do sol. Cada sombra era muito disputada. A parte ruim era não saber exatamente onde os carros estavam, pois estavam bem dispersos. Também não haviam lixeiras, nem bancos... podia ter ambulantes vendendo (cerveja) agua e uns salgados, mas não tinha. De um modo geral, me agradou bastante. Talvez foi o primeiro encontro em que foram mais Maverick do que Opala e fusca.

É isso pessoal. Ford abraço!

FORD MAVERICK NA HISTÓRIA
Pra quem quer saber a história por trás da história.

E-mail para contato:
juninho8fonseca@gmail.com

Curta a página e confira nosso conteúdo exclusivo para o Facebook:

Obrigado pela visita!

Deixe seu comentário

No Facebook


Conheça os Relocímetros, uma linha de relógios especiais para quem curte carros. De parede, de pulso e de mesa. Acesse www.autosbizus.com.br .