quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Entrevista - Sidney Pureza do Nascimento

Um dia a tarde recebi um email do Sidney Pureza do Nascimento perguntando sobre o 4º Encontro de Veículos Antigos de Holambra e logo após encaminhá-lo aos responsáveis, conversamos bastante sobre Maverick. Aprendi muito com suas histórias e logo notei que era assunto para um boa entrevista.

O Sidney tem um Maverick Super Luxo branco nevasca 1975, 4 cilindros turbinado e com cambio automático, apelidado de Bailarina ( você já vai entender porque). Ele foi um dos fundadores do Maverick Clube do Brasil que junto com o Maverick Clube do Rio de Janeiro lançaram o famoso Power Tour, além de vários encontros, reunindo os Maverickeiros e fortalecendo a imagem do Maverick no Brasil. Vamos ver também que o Sidney já foi um Opaleiro rsrsrsrs

As entrevistas do blog são feitas por email (pelo menos por enquanto), mas não precisamos seguir aquele esquema de pergunta e resposta.
Vamos acompanhar então a narrativa escrita pelo próprio Sidney:





"Havia mudado para aquela região em setembro de 1998..na esquina de casa havia uma agencia de carros, mas o estranho era que só havia carros “velhos”...um Fiat 147, dois fuscas, uma Kombi e um.....maverick..com a correria natural de uma mudança, não tive oportunidade de pelo menos ir lá ver os carros, pois sempre gostei de carros antigos. Passaram-se alguns meses, e quando dei por mim, a agencia havia fechado, os carros retirados, exceto por um....o maverick branco. Fiquei intrigado porque só o maverick restou..porém não tinha nem como perguntar nada, pois a agencia fechou e não deixou nenhum tipo de letreiro com telefone ou contato.


O tempo passou, de vez em quando eu passava em frente e reparava que o maverick estava com uma camada grossa de pó...outras vezes ele estava limpo, porém na mesma posição, demonstrando que não havia sido mexido do lugar. Passou 98...99..2000..2001...2002...2003....até que em abril de 2004, percebi que o local estava aberto e tinha um homem dentro, e o maverick do mesmo jeito, tomei coragem e entrei para falar com ele. Então ele me contou que era o proprietário do lugar e que havia mudado de ramo e se desfeito dos carros,..e que ele resolveu transformar o lugar em um salão de festas...fiz então a pergunta clássica, sem demonstrar que estava de perna bamba olhando pro carro...e aquele “carro”ali?...ele respondeu que tinha  desde 1992,e que nunca teve coragem de vende-lo, mas não tinha garagem em casa para ele.

Diante de tal afirmação, perdi a coragem de perguntar mais nada....passou mais uns dias, até que tomei coragem e parei lá de novo e fui direto ao assunto...”quer vender o maverick”???, ele com cara de susto respondeu que não...dei meu cartão para ele, dizendo que pelo menos, estava em 1º lugar na intenção de compra, acabei fazendo amizade com ele e de vez em quando ia lá para bater papo sobre carros antigos, enquanto durava a obra...um certo dia, ele me ligou e falou se eu ainda estava interessado no carro...( acho que faltou dinheiro para a obra), sem demonstrar muito entusiasmo disse pode ser sim, vou aí pra gente conversar....e foi assim, depois de prometer que não iria “transformar” o carro em alguma aberração, devido ao grau de originalidade dele, que ele veio parar na minha garagem.



Daí em diante, foi um período de garimpo de algumas peças que faltavam, e alguns frizos que não estavam 100%, naquela época, em 2004/2005, ainda não havia um comercio regular de peças novas sobressalentes, como há hoje, tinha que achar a original mesmo e torcer para estar em bom estado. Tenho um amigo proprietário de uma oficina de funilaria e pintura que ocupa um quarteirão e tem 4 andares, o conheço desde que ele guardava as tintas num guarda roupa velho da mãe dele, e ele me disse que faria o serviço, desde que eu desmontasse e montasse o carro, pois não tinha pessoal especializado naquele tipo de serviço. Não tive alternativa, e como tenho uma garagem grande em casa, desmontei ele sozinho e levei no guincho para a oficina. Posso dizer que ele foi feito com total qualidade de serviço e material, tendo um resultado final muito bom.

























Nesse meio tempo, ainda não sabia o que faria na mecânica, se ia manter o motor 4 cilindros original, ou iria  montar um V8. Até que vi um anuncio de um motor 4 cilindros turbo, lá no Rio de Janeiro, liguei pro cara e fui buscar o motor, comprei ele sem testar, só na confiança, alguns amigos me disseram que o motor devia estar “oco”, porém, qual não foi minha surpresa, quando um amigo de uma lista de discussão falou que conhecia a pessoa que me vendeu o motor e conhecia também quem havia feito o motor, e ele era fera na Stock car, inclusive havia montado vários carros fortes por lá. Dito e feito, pois o motor era realmente forte e bem feito, aliás, ainda é pois já rodei 22 mil km com ele, e até agora só fiz o cabeçote, em 2011, quando passei ele para cambio automático.

Fiz o cambio todo novo e parti para o abraço...apanhei um pouco nos ajustes, carburador, velas...o acerto final veio com velas iridiun, ignição Bosch, carburador 3E e um modulo CM. Instalei uma ventoinha elétrica, e tudo o mais que um carro de 40 anos precisava na questão de suspensão, freios e etc..., enquanto estava com cambio manual, lixava o asfalto com o mínimo de força no pedal, até que resolvi colocar um cambio automático, pois já não aguentava mais provocações dos apezeiros na rua, e vi que poderia acabar mal, caso entrasse na deles e saísse empurrando um “carrinho” desses, como fazia nos idos dos anos 80 pelas ruas da cidade com os “seis boca”

Sobre a mistura turbo e automático?...posso dizer que ficou muito bom, anda muito bem, deslancha rápido e forte, porém sem aquela pegada do manual, até porque meu cambio automático apesar de ser totalmente novo, também é totalmente original.

 









Em 2009 fundamos o MCDB, tivemos uma breve historia, com encontros, passeios e dias felizes em Interlagos, fiz algumas boas amizades, conseguimos juntar muitos mavericks maravilhosos, rodamos bastante, e em virtude de problemas diversos, o Clube não está mais ativo,mas ainda tenho esperança que voltemos a nos encontrar....o tempo dirá."











"PS. O apelido foi dado por um grande amigo e um dos caras que mais teve Mavericks na vida, chamado Claudinho ( pelo menos de 2005 para cá eu sei que ele teve pelo menos uns 6 ).
Havia acabado de montar o carro, nem havia testado direito os freios e fui dar umas voltas pela marginal e testar o fôlego do motor turbo....era sábado por volta das 17hs, estava na faixa da esquerda a uns 90kmh, quando passa por mim uma limosine antiga...eu me distrai e como bom apreciador de carros antigos, passei a observar os detalhes do carro, isso estando a quase 100 por hora...o transito parou e eu não tinha outra coisa  a fazer a não ser freiar...o carro travou, apesar da válvula equalizadora da pampa que eu havia instalado, mas travou a roda trazeira direita, para minha sorte, pois se fosse a esquerda, eu tinha caído no Tiete...fiz um 180 na pista, e graças a habilidade adquirida quando jovem em rachas e peripécias com opalas 250s pelas ruas de SãoPaulo...consegui segurar o bicho, que ficou apontando para o lado oposto da marginal, usando apenas metade da outra pista no giro, e parando ele alinhado na minha faixa de rolagem.... o transito parou na minha frente e os motoristas atônitos olhando para os lados e para cima, pois aquela cena insólita só podia ser coisa de filme....manobrei o carro devagar e saí a lá James Bond....

Lá na frente o cara da limosine deu sinal e encostamos o carro...ele disse que viu em slow motion a frente do maverick passar a míseros centímetros da sua trazeira e ainda deu tempo de ver a minha cara impassiva segurando o volante do carro.

Contei essa peripécia na lista BR Mavericke então o Claudinho cunhou o “Bailarina” e a partir daí, ele ficou assim conhecido."





Sidney meu amigo, sua história é inspiradora! Você teve a paciência para comprar, a técnica para montá-lo e escolheu a melhor maneira para curti-lo!
O Bailarina está ótimo e como é do Maverick, desafiando tudo e todos, nesse caso os que acham que não dá pra ter turbo e cambio automático juntos.
Muita gente acompanhou o Maverick Clube do Brasil e, pelo Youtube, o Power Tour. É uma pena que tenha acabado, nós ficamos órfãos, mas independente do que tenha acontecido, espero mesmo que cada um dos cabeças do Clube entendam que já é hora de recomeçar e levar o Maverick a lugares ainda não alcançados.
A explicação o apelido do Bailarina foi ótima, você conseguiu me deixar curioso até hoje rsrsrsr Foi no momento da rodopiada que a experiência de opaleiro falou mais alto né, já estava acostumado com essas situações que eu acredito ter sido a única com o Maverick rsrsrsrs





Muito obrigado por ter aceitado o convite. A sua história e do Bailarina já estão registradas.
Ford abraço!



FORD MAVERICK NA HISTÓRIA
Pra quem quer saber a história por trás da história.

E-mail para contato:
juninho8fonseca@gmail.com

Curta a página e confira nosso conteúdo exclusivo para o Facebook:

Obrigado pela visita!
Deixe seu comentário

No Facebook


Conheça os Relocímetros, uma linha de relógios especiais para quem curte carros. De parede, de pulso e de mesa. Acesse www.autosbizus.com.br .