domingo, 22 de junho de 2014

Encontro em Águas de Lindóia e a primeira vez que dirigi um Maverick

O encontro mais aguardado do ano chegou, Águas de Lindóia sai do nível paulista e recebeu entre os dias 19 e 22 de junho o 1º Encontro Brasileiro de Autos Antigos.
Foi a primeira vez que fui à Lindóia, mas com certeza não será a última. Pude ficar somente na quinta feira, mesmo assim foi muito especial por 3 motivos: Carros antigos, Amizades, Dirigir Maverick. Não necessariamente nessa ordem... Vou dividir essa publicação em 3 partes. Vamos lá!




O Encontro

há 18 anos que Águas de Lindóia é um sonho para todos os antigomobilistas. Sempre tive vontade de ir, mas só acompanhava pela televisão. A minha ida para Lindóia começou no encontro de Campos do Jordão, quando conheci o pessoal de Curitiba: Carlos, Luciano, Nilo e Itamar. Você pode conferir com mais detalhes aqui.
Todos já estavam pensando no próximo encontro, mas eu nem imaginava que seria possível. Grana curta, pensamento em trocar de emprego, falta de tempo.... Estava complicado, quase a mesma situação de quando fui pra Campos. Aprendi que não adianta eu planejar nada dessas coisas. Nesses casos o planejamento não funciona pra mim. O Carlos e o Nilo ficaram me chamando pra ir, mas ainda não podia dar certeza. Mudei de emprego e eu ja tinha certeza que não daria pra emendar o feriado do dia 19.
Mas aí eu pensei: Poxa, os caras vão vir de Curitiba e eu que estou aqui "do lado" não vou? Os caras são meus amigos, estão me chamando e eu não vou? É o primeiro encontro brasileiro em Lindóia e eu não vou?...... Eu não tinha motivos pra ficar em casa e duas semanas antes eu confirmei.

Mandei minha moto na revisão e acelerei.



Cheguei às 8h30 e já fiz amizade com o pessoal do estacionamento que deixei a moto.
Eu não conhecia a cidade então adivinha? Estava praticamente perdido, mas depois de andar pra lá e pra cá, encontrei o Maverick do Anderson Di Santo, aí me senti em casa! Os outros carros estavam cobertos, então só tive que esperar o pessoal chegar.

A essa altura, já tinha alguns carros no encontro, mas chegavam mais a cada momento. Cada um mais bonito que o outro, só que não tem jeito... eu fiquei de guarda ali nos Maverick heheheh

Agora eu tenho como falar: Águas de Lindóia é melhor que Campos do Jordão. O espaço é muito mais apropriado, amplo e bonito. Você não precisa andar muito para ver todos os carros. Praça de alimentação completa, banheiros, pessoas designadas a cuidar para que ninguém toque nos carros... muito bem organizado. Parabéns aos organizadores.

Você só teria que andar muito se fosse no "mercado de pulga". Quanta barraca! Não consegui ver todas, se bem que enquanto o pessoal procura peças, eu procuro revistas rsrsrsr falando nisso, comprei uma especial, muito boa. Logo falo sobre ela aqui.

No final da tarde teve a abertura oficial com o coral e discurso do prefeito, tudo muito bem feito e organizado. Gente pra todo lado e os carros continuavam chegando, mas nesse momento eu já estava de saída. Precisava encarar a estrada escura, sem saber o caminho ao certo e ainda trabalhar cedinho na sexta feira rsrsrs.

Tive uma impressão muito boa pelo dia que passei lá. Ano que vem quero ficar o evento todo.

Vejam algumas fotos:


Obs.: Tive que reduzir a qualidade das fotos para melhorar a visualização do blog.














Esse foi o primeiro dia do encontro. Gostei muito.


Os Amigos

O que seria de nós sem os amigos? Um amigo pode ser até melhor que um parente. Amigos são especiais e é isso que torna esses encontros realmente bons.
Fiz muitas amizades nessas ocasiões e sou muito feliz por isso. Encontrei pessoas simples, verdadeiras e com um coração enorme.


O primeiro que re-vi foi o Nilo e aí fui apresentado ao Toinho. Descobrimos os carros, demos um trato... até que o Nilo disse que não tinha fotos de seu Maverick GT 73. Como assim?! Vamos resolver isso agora!





















E aí Nilo, satisfeito?

Pessoal, esse Maverick está exatamente com o km que aparece no painel: 51.182 quilômetros rodados! Essa pintura que brilha sem parar é a original. O estepe nunca foi utilizado e ainda tem a cera que veio nele. É um GT 1973 de plaqueta e de documento. Tem ar e direção.
Esqueci de alguma coisa?

Agora vem o GT do Toinho. Ele está com o carro desde 1988 e conseguiu colocar essa placa maluca. Sim, é a placa registrada no Detran. Na correria eu acabei deixando de perguntar como ele teve a ideia e conseguiu fazer isso.

Lindo carro!









Esse aqui está em todos os eventos! Anderson Di Santo. Dia 3 de agosto ele será o anfitrião para o encontro em Taquaritinga.
Ahh na verdade, o carro é do Mateus rsrsrs














Esse aqui é apelação....
Dessa vez ele ficou a sombra, mas é de longe o Maverick que mais chama atenção pela sua linda cor Azul Regata Real.








Comecei a escrever essa publicação na sexta-feira e no sábado soube que esses dois próximos Maverick foram premiados. Mereceram ou não?

LDO americano 1973











GT 1979










Verde Mangueira.






Essa era a ala dos GT











Esse foi inédito pra mim. Foi o primeiro 4 portas americano que vi.
A cada dia gosto mais e mais do 4 portas.








Eu nunca vi tanto GT junto! :)






Acho que os Super Luxo estão mais raros que os GT heim rsrsrs








 Ahhh a perua Maverick!
A primeira que vi foi em Araras em 2011 ou 2012.. não tenho certeza.
Como podem notar, ela estava num lugar fechado, estava complicado pra tirar as fotos....
Quero falar aqui sobre essa ficha técnica.
Não entendi a questão sobre ser um projeto de 73/74 e nem por ser um motor 6 cilindros.
O ano do carro é 76, mas pela informação que tenho sobre a perua, nem tudo bate. Vejam as revistas Quatro Rodas edição 213 e edição 216 de 1978 sobre a perua. Diz que era pra ter sido apresentada no salão do automóvel de 76 e estava disponível somente com os motores 4 e 8 cilindros.














A Fera do Daniel







Gostei dessa foto. Achei que tinha tirado foto com o capo fechado, mas não tirei... :(






Esse aqui é especial pra mim e vocês já vão entender o porquê.
É um GT 74. Dá uma olhada nos detalhes....parece que tem 40 anos?








Como eu posso explicar... Até certo momento do dia eu estava usando todas as minhas faculdades perceptivas, mas depois que fui vendo esse monte de Maverick, todo o pessoal, todo o clima antigomobilista, qeu passei a perder a capacidade de me concentrar. Deixei de tirar algumas fotos, de conversar mais e fazer perguntas... Só ficava com a cara de bobo admirando tudo aquilo.

Nós passamos a tarde juntos, dando risada e babando nos carros. Foi muito agradável. Fiquei a vontade.




Um Abraço meus amigos, vamos estar juntos em breve com certeza. Obrigado!

Minha primeira vez dirigindo o Maverick

Bom, agora o coração corre o risco de ter uma arritmia!

Depois que confirmei pro Carlos que eu iria, ele prometeu que eu iria dirigir um Maverick. Quem me conhece sabe como sou ansioso. O pessoal que trabalha comigo ficou com a cabeça quente de tanto que eu falava disso kkkkk. Bom, chegou o dia e como o Carlos é um homem de palavra, cumpriu com a sua parte e eu... eu... nao era mais eu. O video vai mostrar. Tentei não falar besteira, mas no final das contas... kkkkk

O Carlos manobrou o carro e fomos até Monte Sião e depois eu voltei dirigindo. Enquanto estava no carona, filmei, mas depois que pulei pro volante, dane-se a câmera hehehe. Obrigado Carlos por ter tirado as fotos e filmar também né hehehe

No começo do vídeo, falamos sobre o que aconteceu com os Maverick ano 1973. Foi a parte importante. Depois precisamos comparar esses dados com mais carros. Vou convocar o pessoal para fazer uma checagem mais ampla.

Antonio Gabriel Littig Netto e Edson Antunes, vocês precisam ver isso.

OBS.: Tive que encurtar o video porque metade dos leitores dormiram na metade kkkkk




Não foram apenas 8,4 Km, eu dirigi do estado de Minas Gerais até o estado de São Paulo! hehehehe

Não conseguia falar coisa com coisa, mas por dentro eu estava num turbilhão de emoções e sentimentos. Não é simplesmente dirigir um Maverick, é realizar um sonho e como alguém pode descrever isso? Eu não consigo... Ainda mais se parar para pensar em tudo envolvido... Dos muitos Maverick que o Carlos teve e tem esse aí é o seu preferido. Não é UM Maverick, é O Maverick. Mesmo assim ele confiou seu tesouro as minhas mãos.

Quando comentei que teria a chance de dirigir um Maverick, diziam: Quem é o maluco? Longe disso! Aí está o valor de um homem, o que ele pode fazer pelo outros. Não é questão de dinheiro ou sanidade mental. Também faço isso com meus amigos aqui no sítio quando tenho a chance, ensino a dirigir, deixo dirigir... sei como é importante para a pessoa.

O que eu senti? Um pouco de tudo! Até vontade de chorar de tanta alegria hehehe não tenho vergonha disso.

A música Fast Lane do Megadeth fala como é dirigir um carro a toda. 
Pra falar a verdade, sempre achei que quando eu dirigisse um Maverick, me transformaria igual o Pateta nesse vídeo , mas na prática eu me senti totalmente ao contrario e fiquei contente por isso kkkkkk Essa volta me ensinou muitas coisas. Não vou esquecer.










Ainda tem mais fotos, mais histórias, mas se eu não parar agora, vou acabar ficando aqui o dia todo!
Obrigado a todo o pessoal pela paciência e companhia. Carlos, obrigado mais uma vez meu amigo, serei eternamente grato. Parabéns também ao Luciano e Carlos pelos carros premiados no encontro. o trabalho de vocês é de outro planeta.

Fui, Ford Abraço!

FORD MAVERICK NA HISTÓRIA
Pra quem quer saber a história por trás da história.

E-mail para contato:
juninho8fonseca@gmail.com

Curta a página e confira nosso conteúdo exclusivo para o Facebook:

Obrigado pela visita!

No Facebook


Conheça os Relocímetros, uma linha de relógios especiais para quem curte carros. De parede, de pulso e de mesa. Acesse www.autosbizus.com.br .