domingo, 3 de maio de 2015

A Fórmula 2 Maverick

Uma pesquisa leva a outra e assim por diante. Hoje chegamos ao momento de falar da nova categoria que estava sendo implantada: a Fórmula Maverick ou Fórmula 2 Maverick.
Vejamos do que se tratava.



O Estado do Mato Grosso 25.7.75



Portanto a nova categoria de monoposto terá inicio em março de 1976. Para isso, Luis Antonio Greco e John Garner passaram um mês na Europa analisando qual a melhor forma de criar essa nova categoria;
Já vimos que seria uma categoria de monopostos, a parte do Maverick, ficaria por conta do motor 2.3 OHC que equiparia essas máquinas.

Podemos dizer que era um projeto promissor, pois a própria Ford estava por trás, totalmente interessada em levar a idéia para frente.

Veja 6.8.75
A Veja diz que todo o trabalho do departamento de competições da Ford foi feito em sigilo, mas que sua ambição era criar a categoria mais veloz do Brasil.
A apresentação do projeto foi realizada no dia 27 de julho em Goiás.

Agora uma parte que merce destaque. Enquanto alguns teimam em dizer que o motor 4 cilindros do Maverick não é grande coisa, na Fórmula Maverick, ele renderia 280 cavalos atingindo 270 km/h. Está bom pra você?

Seria um carro único, fabricado com o chassis Lola e a escolha do nome da categoria foi um tanto difícil.

John Garner era o Gerente do Departamento de Competições da Ford Brasil, ele era O Cara. Tornou-se  o principal responsável pela criação dessa categoria.

O nome Fórmula Maverick acabou sendo escolhido após uma pesquisa com jornalistas e pilotos.

A Ford tinha por objetivo atrair mais público para sua marca e assim vender mais produtos.

Grecco e Garner levaram um 4 cilindros para a Europa e o entregaram ao John Nicholson, preparador de motores da McLaren. Ele fez sua mágica e o rendimento desse motor aumentou em 181 cavalos!

Mais outros detalhes estavam sendo resolvidos e um desafio estava se formando: encontrar pilotos capazes de controlar toda essa velocidade, mas José Carlos Pace estava cuidando disso.



Placar Magazine 8.8.75
Imagina que coisa boa estava para acontecer. Uma categoria tão competitiva no Brasil poderia significar uma escola para novos pilotos, um interesse maior das montadoras nas competições, melhorias nos carros de rua, mais investimento no automobilismo nacional, enfim, colocaria o Brasil ainda mais na cena do automobilismo mundial.

Placar Magazine 8.8.75
Nós vemos aí o primeiro desenho do carro, que como já disse, é um monoposto com motor 4 cilindros do Maverick.
Nem tem como eu comentar muito, a matéria é bem objetiva e não deixa dúvidas. É muito interessante as colocações do Grecco.

Em comparação com o que saiu na Veja, a Placar aumentou todos os dados do novo carro. Eu não duvido que seja verdade. Agora o motor poderia render 350 cavalos com um cabeçote que aceitaria uma carburação dupla.

Placar Magazine 8.8.75

E o nome Fórmula 2 Maverick foi dado pela Placar Magazine.
O texto do Lemyr Martins dispensa comentários. Ótimo!



Placar Magazine 26.9.75
Olha a resposta do Ganer! Isso tudo é verdade? É verdade, mas ele poderia ser um pouquinho mais educado né? rsrsrs


Placar Magazine 6.3.76
Agora vamos todos juntos em coro: Ahhhhhh :(
Finalmente chegou março de 76, mas todas as expectativas e trabalhos foram superados pela crise do petróleo....

Assim, sem nem ter começado, termina a Fórmula 2 Maverick. Em 1976 muitas coisas se perderam por causa da crise do petróleo, a principal delas foi o interesse da Ford pelas corridas. Parece que entramos nesses "20%" de espera....



FORD MAVERICK NA HISTÓRIA
A História do Maverick contada como você nunca viu!

E-mail para contato:
juninho8fonseca@gmail.com

Curta a página e confira nosso conteúdo exclusivo para o Facebook:

Inscreva-se em nosso canal do Youtube:
www.youtube.com/user/mvk8/videos

Obrigado pela visita!

No Facebook


Conheça os Relocímetros, uma linha de relógios especiais para quem curte carros. De parede, de pulso e de mesa. Acesse www.autosbizus.com.br .