quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Histórias de encontros de carros antigos

Já fui a vários encontros de carros antigos em diferentes cidades e vi muita coisa boa, conheci muita gente legal, aprendi bastante, mas também ouvi cada uma...
Enquanto fotografo os Maverick ou apenas os admirando, sempre aparece alguém do lado pra falar sobre eles. No começo eu gostava de ficar perto dos senhores de mais idade pra aprender alguma coisa e ouvir os causos da época, mas deles também vieram histórias sem pé nem cabeça. Eu achava divertido ouvir como inventavam sobre a história e os dados técnicos do Maverick, mas depois de um tempo eu comecei a ficar irritado. Em momento algum culpei ou responsabilizei alguém que falava algo errado sobre o Maverick, pois além de eu não fazer parte da conversa, não sabia se a pessoa entendia ou apenas estava dando sua opinião sem compromisso do assunto, então parei de ouvir e hoje só fotografo.




Relembro rindo de algumas coisas que ouvi. Devo admitir que o pessoal tem uma imaginação muito fértil e uma capacidade incrível de associar a história de todos os carros em apenas um só.

Separei algumas dos causos que presenciei, mas que por eu não ter uma boa memória, tive que completar com alguns devaneios que tive enquanto ouvia.
Obs.: Qualquer semelhança com a realidade não é mera coincidência. Divirtam-se!





Três amigos chegam ao lugar reservado para o Maverick. Logo começam a comentar:

- Que carro é esse? É um Opala?
- Parace um Corcel. Tá bunitão heim.
- Esse é o Maverick, não está vendo escrito ali do lado?
- Ah Maverick... qual a marca dele?
- Chevrolet, a mesma do Opala, só que o Maverick só tinha motor V6 e V8 e o Opala só tinha motor V6 e L4.
- E esse 302 aí do lado?
- Ah eu sei, é igual o que tem no Fiat 147, mas aqui é 302.
- Nada a ver! Vocês são burros? Esse carro tem 302 cavalos, não tem nada a ver com o Fiat 147 kkkk é cada uma que eu ouço...
- Mas qual veio primeiro, o 147 ou o Maverick?
- O 147. Maverick é mais novo. Meu tio comprou um 0km em 1982, era um dos primeiros e era raro também porque tinha um motor canadense.
- Sério?
- Meu tio vendeu porque gastava muito e comprou um Opala L4.
- Opalão! Seu tio entende...




Agora uma família com filhos pequenos e o pai é quem vai ensinar as crianças sobre o Maverick:


- Aqui crianças, este é o Ford Maverick. Carrão viu.. Seu avó teve um, mas eu não podia dirigir.
- Legal pai, você nunca falou sobre isso.
- Então o Maverick tinha dois modelos, o normal e o GT, a diferença é que o GT tem umas faixas pretas... ali, está vendo? O resto é igual.
- Aqui tem vários Maverick, eu nunca tinha visto.
- É filho, mas repara bem, você tem que prestar atenção nos detalhes. Aquele ali é mais original que esse olha. Aquele tem mais frisos ta vendo? Esse aqui ta faltando friso e nem tem aquele sobrearo, é um carro mal restaurado e olha só, tem placa preta... tudo errado.
- O que é Placa Preta pai?
- É quando o carro está igualzinho como saiu da fábrica e vira de coleção, mas esse aqui está errado... Vamos ver os outros carros por ali...



Dois senhores

- E Maverick!
- Eu e a Judite viajamos muito num bichão desses! O meu era um Super Luxo vermelho, mas tinha o motor 6 cilindros...
- O Aerovick?
- A turma falava assim, mas era um carro bom... Tinha muito espaço pra mexer no motor, nos carros de hoje em dia não cabe nem a mão aí dentro
- E a lata? Uma vez eu viajei de carona com o Sebastião e ele acabou se perdendo numa curva de estrada de terra, porque naquele tempo nem tinha asfalto direito e enfiou a frente do Maverick no barranco. Eu não lembro qual era o motor.... Bom, mas ele deu ré e a gente puxou o paralama pra fora e seguiu viagem sem nenhum problema.
- Ah tenho saudade do Maverick que tive.. Mas hoje não dá pra ter um carro desses não. Olha só, quanto gasta pra deixar o carro assim? Eu não tenho dinheiro, sou aposentado!
- Pois é, se for pensar na gasolina que gasta então?!
- Deus me livre!
- kkkkk
- kkkkk



Sobre um Landau...

- E esse motor, é o canadense mesmo?
- Sim, é claro! Motor canadense. A Ford trazia esses motores do Canadá pra equipar os Mustang Boss 302 e aqui também foi usado nos Maverick. Vou explicar: Em 1974, não, em 1975 a Ford tinha o Maverick que usava o motor 6 cilindros do Falcon americano e pra combater o Charger e o Opala, importou o 302. Ela podia ter trazido do México ou do Canadá, mas escolheu trazer do Canadá mesmo porque fica próximo a Detroit então era mais fácil. É isso, esse é o chamado "puro ferro de Detroit". Quero ver você espanar um parafuso desses, é tudo de ferro, não tem nada de alumínio...





Eu já falei algumas abobrinhas por aí, mas nem tanto rsrsr. Tudo se resume a entender que não precisamos ter opinião sobre tudo e dar nossa opinião sobre tudo, sempre é melhor ouvir mais e falar menos. Outra coisa que aprendi é que não é porque não encontramos, que não existe; não é porque não conseguimos, que ninguém vai conseguir; não é porque não sabemos que ninguém sabe e não é porque a gente acha, que aquilo é certo. Mas quem é que se importa não é? rsrsr

Lembrando que isso não é um teste de conhecimento, é apenas uma forma de descontrair com um assunto tão presente entre os antigomobilistas.

Você encontrou os erros nessas histórias malucas? Tem alguma história desse tipo que queria compartilhar conosco? Comente!




FORD MAVERICK NA HISTÓRIA
A História do Maverick contada como você nunca viu! 

Estamos na rede TSU, venha ver!
tsu.co/MaverickNaHistoria

Curta a página e confira nosso conteúdo exclusivo para o Facebook:

Inscreva-se em nosso canal do Youtube:
www.youtube.com/user/mvk8/videos


E-mail para contato:
juninho8fonseca@gmail.com

Obrigado pela visita!

No Facebook


Conheça os Relocímetros, uma linha de relógios especiais para quem curte carros. De parede, de pulso e de mesa. Acesse www.autosbizus.com.br .